Publicidade

Assine o HoraHAnuncie no HoraH


O Espírito Olímpico

Sergio Pires

03/09/2016 às 12:17h

O Espírito Olímpico

 

O espírito olímpico

                     Por Sergio Pires

Enfim se cumpriu em nosso país a olimpíada. Apesar de tudo,  dentro de um contexto de normalidade e previsibilidade, deixando aliviados os mais sobressaltados com nossa condição de bárbaros incapazes de manejar a etiqueta e as mesuras exigidas pela opinião pública dos grandes centros mundiais.

 

Afora uma e outra grosseria, os tupiniquins se comportaram como pessoas de primeiro mundo, ainda concedendo como plus muito sorriso e prazer carnal aos recalcados atletas e turistas do hemisfério norte.

 

Ao final, o ufanismo de feitor que caracteriza alguns arautos do sistema dominante nacional bradou que demos uma demonstração ao mundo de civilidade, cortesia etc. De fato, durante a realização da olimpíada nossa dramática pauta ficou suspensa ou foi desenvolvida na surdina para não ofuscar o brilho da alegria contagiante dos jogos.

 

Mas tudo que é bom dura pouco, diz o velho ditado. Voltamos ao dia-a-dia. O sonho olímpico entra na história enquanto na vida real submerge o governo Temer com suas ameaças à liberdade e à felicidade. Do povo, frise-se, pois aos da casa-grande o banquete promete ser bárbaro, permita o trocadilho. 

 

Teoriza-se muito acerca do legado dos jogos olímpicos. Além de alguma criança sem pai, fala-se até de um novo paradigma de inserção do brasileiro no mundo globalizado, agora como cidadão universal capaz de se sentir igual aos estrangeiros.

 

Em verdade, as olimpíadas são apenas uma festa, uma grande festa, que no contexto mundial atual tem como principal mote incrementar os negócios das grandes corporações comerciais do planeta: coca-cola, adidas etc.

 

Mas não custar sonhar. Sonhar que o denodo dos atletas sirva de  exemplo ao povo brasileiro. E que este passe a lutar com determinação pelo pódio de um futuro melhor, que seja digno enquanto derrotado e humilde e magnânimo quando finalmente chegar à vitória. Sim, precisaremos de todo o espírito olímpico para encarar as provas que o futuro imediato nos reserva.

 






  • ACI LATERAL SECUNDARIAS