Publicidade

topo 3topo 6topo 5


PIB do Município de Ijuí cresce 16,93%

Postado em 07/01/2016

A Fundação de Economia e Estatística do Estado do RS divulgou os dados sobre desempenho do PIB dos municípios gaúchos e do Estado Do RS considerando dados de 2013. Estes dados revelam que o PIB de Ijuí soma R$ 2.760.178.000,00, que significa um crescimento de 16,93% em relação a 2012. Este percentual é maior que o crescimento de 15,3% verificado no Estado do RS. Este crescimento é maior do que o verificado em 2012 (em relação a 2011), que foi de 13,78%.

Considerando o desempenho do PIB, Ijuí ocupa a 19ª posição entre todos os municípios gaúchos. Vale lembrar que no ano de 2012 Ijuí ocupava a 22ª posição no estado. Se considerarmos toda a região norte do RS o município de Ijuí apresenta o terceiro PIB da região, apenas atrás de Passo Fundo e Erechim. Na região Noroeste, Ijuí tem o maior PIB, estando a frente inclusive de municípios mais industrializados, como Santa Rosa e Panambi.

 A renda per capita dos ijuienses é de R$ 33.548,00. A ordem de participação dos setores econômicos na composição do PIB de Ijuí não mudou: a agropecuária contribui com 6,98%, a indústria com 13,76% e os serviços com 79,26%. Ou seja, o setor de serviços continua sendo o “carro chefe” da economia ijuiense, fato que deverá continuar se verificando nos anos seguintes. O perfil econômico de Ijuí é bastante semelhante ao de Passo Fundo, que ocupa o sexto lugar no Estado.

Os dados nos permitem tirar algumas conclusões. Primeiro: o setor de serviços é um fator extremamente importante no processo de geração de riqueza dos municípios. Por exemplo, Porto Alegre e Canoas, que ocupam, respectivamente, o primeiro e o terceiro lugar, são municípios produtores de serviços. Porto Alegre apresenta um percentual de 85,91% e Canoas, 98,99%.

Segundo: o setor de serviços tem mostrado mais estabilidade na geração de riqueza, diferentemente da agropecuária, condicionada pelos fatores econômicos e climáticos que afetam diretamente as safras, e da indústria, setor que sofre imediatamente os impactos do ciclo econômico. É o caso, por exemplo, de Santa Rosa, com as empresas ligadas ao sistema de produção de máquinas e implementos agrícolas e Panambi, diretamente ligado às demandas das montadoras (máquinas e automóveis).

No caso de Ijuí, considerando o setor de serviços dois setores se destacam: a educação e a saúde. Estes setores não sofrem, pelo menos imediatamente, os impactos da crise econômica. Outro dado importante para avaliar o nível de crescimento da economia é a geração de empregos. Em 2013, segundo dados do CAGED, observou-se um saldo positivo de 868 novos empregos. E, em 2015, até novembro de 2015, o município de Ijuí teve um saldo positivo de 145 novos empregos, num período de aprofundamento da recessão das atividades econômicas do país.

De acordo com a FEE, “PIB é a sigla para Produto Interno Bruto, e representa a soma, em valores monetários, de todos os bens e serviços finais produzidos numa determinada região, durante um período determinado.” O PIB é um dos indicadores mais importantes para medir o desempenho das atividades econômicas de uma região.


Fonte: Município de Ijuí