Publicidade

Anuncie no HoraHAssine o HoraH


Grêmio inicia hoje à noite a final contra o Lanús em busca pelo tricampeonato da América

Postado em 22/11/2017

 

A ambição do momento de Renato Gaúcho é tornar-se o primeiro brasileiro campeão da Copa Libertadores como jogador e treinador. Nesta quarta-feira (22), poderá dar o penúltimo passo para concretizá-la.

O Grêmio recebe o Lanús, às 21h45min, na Arena Grêmio, em Porto Alegre, na primeira partida da final do torneio continental deste ano e Renato espera dar um passo positivo, representado por vitória contundente, que possa dar maior tranquilidade para o confronto da semana que vem na Argentina. Ele sabe a importância de começar bem uma decisão.

Essa foi uma das coisas que Renato Gaúcho aprendeu ao longo da carreira iniciada em 2000, após bem-sucedida trajetória dentro de campo. Treinador das “antigas”, ele não abandona o jeito boleiro. É daqueles que defendem que futebol se aprende na prática e mostra até um certo desprezo por colegas que batem no peito ao dizer que foram à Europa aprender os métodos deste ou daquele treinador.

“Futebol é como andar de bicicleta. Quem sabe, sabe. Quem conhece não desaprende. Quem precisa aprender, estuda, vai para a Europa. Quem não precisa, vai para a praia. Eu posso ir para a praia”, disse certa vez o fã de futevôlei.

Renato Gaúcho defende com vigor os seus atletas. Desta maneira, “ganha o grupo”. É respeitado e tem jogadores que acreditam piamente no que ele diz. “Sempre falo que sou o psicólogo deles”, afirmou.

Gremista de coração, Renato Gaúcho não nega a ansiedade com a decisão. “Não vou dormir esta noite, mas o que importa é que meus jogadores durmam”, admitiu na entrevista que deu logo após participar do “rachão” junto com os atletas nesta terça-feira. “Vamos colocar tudo o que a gente fez no ano em 180 minutos”.

Campeão da Libertadores em 1983 pelo Grêmio, ele já reivindicou ter uma estátua no clube se vencer também como treinador. “A história ninguém apaga”, filosofou.