Publicidade

Anuncie no HoraHAssine o HoraH


Inventor cria sistema que adaptado torna o motor de carro autossuficiente

Postado em 09/01/2018

Natural de Triunfo, Hélio Tavares, montou o sistema de propulsão sob um motor Boxer e garante rodar até duas horas sem combustível, após esse período, se for necessário, o carro passa a ser abastecido por combustível

 

A gasolina está cara e o meio ambiente sofre com a emissão de gases tóxicos. Foi com base nesses problemas que o comerciante de veículos Hélio Tavares, 40 anos, desenvolveu um sistema de propulsão que move o motor e que, segundo ele, pode  ser agregado em qualquer carro. O morador de Triunfo conta que o sistema é composto por bateria, hidráulico e pneumático. “A minha preocupação desde o início foi criar um sistema para os motores já existentes,  para que os veículos deixem de queimar combustível e de poluir os grandes centros urbanos — lugar de pouca arborização e com muitas pessoas respirando os gases tóxicos e cancerígenos”, completa.

Em entrevista ao jornal HoraH, durante esta semana, o comerciante e inventor relatou que   instalou este sistema em um motor Boxer, utilizado em Fusca. “Instalei no cavalete, pois todo projeto precisa de melhorias, para ter uma ideia, o primeiro sistema de controle de direção de pressão  foi mecânico, hoje já uso o sistema elétrico com sensores”, disse Hélio.

Esse protótipo foi idealizado após a percepção de que na Europa um sistema semelhante já é utilizado nos veículos e resulta em menos gastos com o combustível. “Faz uns 10 anos que estou trabalhando nesse projeto. E isso após ver a preocupação dos europeus com os cuidados com meio ambiente e com a economia, é claro”, conta. O sistema gera economia, porque há uma bateria que carrega e conduz o carro. Quando a sua carga acaba, aí sim o motor se movimenta com a queima convencional de combustível.

No desenvolvimento do projeto, todas as peças que utilizou foram adquiridas no Rio Grande do Sul. O seu diferencial é a utilização do booster, que serve para aumentar a pressão. “Esse não é o método que os europeus desenvolveram, mas funciona até melhor. Já tinha visto em um experimento em São Paulo”, explica. A bateria, que é recarregável, movimenta o booster, que por sua vez movimenta o motor. Hélio diz que o motorista poderá recarregar, por oito horas, a bateria na rede de energia elétrica. A carga durará duas horas seguidas em movimento a uma velocidade média de 100 km/h. Quando acaba, o motor passa automaticamente a ser tocado normalmente, com a combustão da gasolina.

“Ainda não está rodando porque no Brasil o governo só quer tirar da população com altas do combustível e sem contar o  impostos embutido no produto. Por isso tenho interesse em divulgar para atrair a atenção do Brasil. É um sistema elétrico, hidráulico, pneumático, onde com o sistema eletro-hidráulico,  amplio  a pressão e vazão necessária. A bateria utilizada para manter esse sistema seria uma normal a partir de  70 amperes”, relata Hélio sobre o projeto.

O próximo passo é a implantação do projeto. Hélio conta que esperou finalizar todas as etapas para somente depois começar a colocar o produto à venda. “Já estou fazendo contatos com fabricantes de carros. Como sou revendedor, já ajuda muito. Pretendo agora divulgar bastante e conseguir apoio para colocar em atividade o motor”, afirma. Ele disse ainda que o mesmo protótipo pode ser desenvolvido também para aviões, mas primeiramente prefere focar nos carros.

Hélio, explicou ainda que apesar de ter instalado o sistema no motor Boxer, utilizado pela Volkswagem, também já testou seu protótipo em motores da Chevrolet, no 1.0 do Celta e no 2.0 do Vectra, onde também funcionou perfeitamente. Por ser um protótipo, o custo ainda é caro, cerca de R$ 5 mil, conforme o inventor, mas se for produzido em larga escala por uma industria, certamente o custo seria bem atrativo.