Publicidade

Assine o HoraHAnuncie no HoraH


Nove integrantes do governo Sartori deixam os cargos para concorrer às eleições

Postado em 27/02/2018

A pressão do calendário eleitoral forçará o governador José Ivo Sartori (PMDB) a realizar uma mudança radical em seu secretariado. Dos 17 atuais integrantes do primeiro escalão, pelo menos nove deixarão os cargos no Executivo para concorrer nas eleições de outubro. O prazo máximo definitivo pela Justiça Eleitoral para o desligamento dos futuros candidatos é 7 de abril.

A maior baixa atingirá o próprio PMDB, que hoje detém a metade das posições de alto assessoramento ao governador. O secretário da Fazenda, Giovani Feltes, e o ex-secretário da Casa Civil, Márcio Biolchi, que acumula os cargos de titular na Secretaria do desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia e na Secretaria de Minas e Energia, tentarão a reeleição para a Câmara dos Deputados. Ambos são deputados federais eleitos, mas deixaram de exercer a função legislativa para fazer parte do governo estadual. 

 

Já os concorrentes a vagas na Assembleia Legislativa ocasionarão mais baixas ainda. Segundo o presidente do PMDB, deputado federal Alceu Moreira, o secretário de Planejamento, Governança e Gestão, Carlos Búrigo, e o secretário da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer, Victor Hugo Alves da Silva, além do atual chefe da Casa Civil, Fábio Branco, deixarão os cargos até abril.

O secretário da Saúde, João Gabbardo dos Reis, o secretário de Segurança Pública, Cezar Schirmer, além da secretária e primeira-dama Maria Helena Sartori, que acumula as funções de secretária de Desenvolvimento Social, Trabalho, Justiça e Direitos Humanos, ainda não consolidaram sua condição de pré-candidatura, mas são nomes com os quais o partido espera contar no pleito.

 

As baixas pelo Partido Progressista (PP) atingirão a Secretarias da Agricultura, Pecuária e Irrigação, pois Ernani Polo vai tentar a reeleição para a Assembleia. A Secretaria dos Transportes perde Pedro Westphalen, que concorrerá a uma vaga na Câmara. Para eles, porém, o afastamento será em 15 de março, data na qual o PP oficializa a saída do governo para trabalhar em candidatura para o Piratini.

 

Pelo PSB, quem sairá do governo para concorrer a vaga na Assembleia é o secretário de Obras, Saneamento e Habitação, Fabiano Pereira. Conforme o presidente do PSB, deputado federal José Stédile, o desligamento deverá ocorrer em abril.