Publicidade

topo 3topo 6topo 5


Abastecimento de água pode ser comprometido pela greve

Postado em 24/05/2018

A paralisação dos caminhoneiros está impedindo a distribuição de insumos para o tratamento de água nas estações da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) no Rio Grande do Sul. Segundo a companhia, faltam cloros e sulfato de alumínio. Se a situação persistir, há risco de falta de água no final de semana em algumas regiões do Estado, especialmente no Sul e Centro.

 

A empresa informou que está em contato com a Secretaria de Segurança do Estado e as polícias rodoviárias Estadual e Federal para viabilizar o deslocamento dos caminhões com insumos, que estão parados nas estradas. O problema só não é maior porque a Corsan afirma ter estoque dos produtos. O problema atualmente, segundo a nota, são nos municípios programadoa para reposição. "Se não houvesse estoque, teríamos problemas nos 317 municípios atendidos pela empresa", informou o comunicado emitido à imprensa.

 

O sulfato de alumínio é utilizado no início do processo para clarificação da água. O produto é produzido na Corsan, mas há a dificuldade de receber os insumos para a produção (bauxita e ácido sulfúrico). Além disso, os caminhões das empresas transportadoras estão com dificuldade em fazer as entregas ou de passar pelos locais com manifestações. A falta de combustível para deslocamento piora o problema. Já o cloro é utilizado como antibactericida para descontaminação da água das estações e poços artesianos. A distribuidora atual fica em Nova Santa Rita. Fonte: Rádio Guaíba