Publicidade

topo 3topo 6topo 5


Ijuí é líder em pesquisa clínica do câncer no país

Postado em 04/07/2018

Programa recebe cerca de 300 novos casos de câncer por mês

O Centro de Pesquisa Clínica em Oncologia do Hospital de Caridade de Ijuí vem conquistando um espaço até hoje nunca alcançado por nenhum outro centro de pesquisa no País. Hoje é responsável pelo maior número de pesquisas em andamento na área de oncologia, tornando a entidade referência em pesquisa clínica no país.  O programa coordenado pelo médico Fábio Franke, teve início em 2005, já atendeu cerca de 2 mil pacientes e atualmente recebe em torno de 300 novos casos de câncer por mês e tem uma média de 20 a 25 estudos em andamento, enquanto a maioria dos centros de pesquisa do país desenvolvem cerca de cinco a seis pesquisas.

Em entrevista ao HoraH, Fábio Franke, destacou que a pesquisa clínica é muito pouco aproveitada no Brasil por conta da  burocracia para a liberação de novos tratamentos, levando quase um ano para ser aprovado, enquanto que nos Estados Unidos e Canadá esse tempo não passa de dois meses. Segundo ele, essa realidade vem apresentando mudanças desde que o hospital recebeu um paciente conhecido pela Senadora Ana Amélia Lemos, "através deste paciente, entramos em contato com a senadora, e ela então, abriu espaço para uma audiência pública no Senado, essa audiência pública virou o projeto de lei, conhecido como PL 200, que  está em tramitação agora na Câmara dos deputados, a qual estabelece novas regras para a pesquisa clínica e tenta encurtar os termos de aprovação. Mas, só essa discussão que vem ocorrendo nos últimos dois anos, já triplicou o número de estudos que temos no Brasil", comenta.

Conforme o médico, as próprias agências regulatórias começaram a se mexer para acelerar a aprovação e as medidas, porque ocorreu uma pressão política, fazendo com que se chamasse a atenção para Ijuí, pois a ideia nasceu aqui, tornando o Município e o Hospital conhecidos em todo o Brasil. Ele destaca que Ijuí representa para o país a vida real, "nós temos as mesmas dificuldades de qualquer ponto do Brasil ou até mais, pela questão de logística, por ser um hospital filantrópico que passa por dificuldades financeiras, mas apesar de tudo isso, a gente consegue ser um oásis de novos tratamentos para os pacientes, com acesso para a realização mais rápida dos exames e ainda, de forma gratuita", relata.

Perguntado sobre o resultado que os novos tratamentos vêm apresentando, o coordenador do projeto conta que hoje o boom da pesquisa é a imuniterapia, a qual é desenvolvida através de uma vacina que estimula as próprias defesas do corpo a combater o câncer. Segundo ele, os resultados são muito expressivos, "nós já realizamos estudos sobre ele desde 2012 e só para se ter uma idéia, hoje já existem no mercado quatro a cinco tipos de imunoterapias sendo comercializadas por meio de prescrições normais. Hoje nós estamos realizando uma pesquisa com as imunoterapias combinadas, onde o paciente de Ijuí pode receber o tratamento com no mínimo, cinco anos de antecedência e alguns deles, chegam aqui com uma perspectiva de vida de meses e vivem anos", explana.

Com o objetivo de disseminar a pesquisa clínica para o resto do país, o Centro de Oncologia do HCI em conjunto com a Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica, desenvolveu um programa de capacitação, onde médicos residentes e especializados em oncologia de todo país, que possuem interesse pela pesquisa, podem se inscrever para participar e conhecer in loco a entidade. "Nós queremos incentivar a formação de novos centros porque a pesquisa ainda está muito restrita. Regiões como o norte e nordeste do país ainda não possuem centros, e o nosso objetivo é disseminar essa ideia para dessa forma poder oferecer os melhores tratamentos contra o câncer para toda a população brasileira", finaliza.